Pessoa segurando um tablet e interagindo com os aplicativos dele

Como o Inbound Marketing tem impulsionado o Marketing Digital

O marketing digital reúne uma série de táticas que atendem as mudanças no comportamento dos clientes e recursos. Diante desse cenário, o inbound marketing tornou-se uma importante solução para aproximar e cativar prováveis consumidores.

 

Uma vez que a premissa é atrair os clientes por intermédio de materiais relevantes, esse tipo de técnica também é chamada de marketing de atração.

 

Em relação aos benefícios que podem ser obtidos com a inserção dessa estratégia estão o alcance mais preciso do público e um elevado poder de persuasão.

 

Como exemplificação para um melhor entendimento, pode-se apresentar uma transportadora de mudanças que ao investir no inbound obtém uma grande possibilidade de atingir o seu público, assim como criar uma relação diferenciada com os seus potenciais clientes.

 

A seguir, confira mais informações sobre o modo de aplicação e o potencial do inbound marketing.

Quais são as etapas do inbound?

 

Há quatro fases que conduzem o processo de inbound marketing e naturalmente, quando realizadas de forma adequada, podem contribuir com a obtenção das vantagens citadas anteriormente.

 

Confira a seguir quais são essas fases:

1. Atração

A qualificação dos clientes em potencial atraídos por intermédio do inbound marketing é um dos grandes diferenciais dessa técnica, pois é basicamente nesta fase que um conteúdo será planejado cautelosamente e entregue.

 

Para uma compreensão mais clara, pode-se citar o exemplo de um hospital de cachorro que deseja potencializar oportunidades mais sólidas de atendimentos.

 

Nesse caso, há uma necessidade de investir em um conteúdo que seja não apenas enriquecedor, como também direcionado adequadamente. 

 

Para trabalhar os materiais, meios como o marketing de conteúdo e técnicas SEO são utilizados. A primeira alternativa é uma das ferramentas de maior destaque, pois está presente em cada fase.

 

Isso se deve ao fato de que essa tática contribui de maneira significativa com o engajamento, assim como contribui para uma percepção mais positiva da marca.

 

Diferentemente da alternativa anterior, as técnicas SEO são imprescindíveis para a otimização das páginas da marca para atingir resultados mais satisfatórios em buscadores.

 

Por exemplo, caso uma academia de musculação completa aposte nesse tipo de recurso, há grandes chances de alcançar maior visibilidade e consequentemente, mais matrículas concretizadas.

2. Conversão

Essa parte da estratégia é voltada para a conversão da audiência dos canais de atuação em leads, que são consumidores em potencial que em determinado momento apresentam interesse na marca. Entre as principais ferramentas aplicadas nesta etapa, estão:

 

  • Call to action (CTA);
  • Formulários;
  • Conversion Rate Optimization (CRO);
  • Landing pages.

 

O CTA refere-se a uma chamada para ação, ou seja, uma indicação direta para que o leitor tenha alguma atitude. Por exemplo, uma marca que atua com digitalização de documentos pode apostar na produção de um material com dicas para gerenciar documentos e indicar o download de um e-book que se aprofunde mais no assuntos.

 

Os formulários também são partes importantes para a conversão, compondo essencialmente as landing pages (LP), que serão abordadas após a otimização das taxas de conversão das páginas.

 

Basicamente, a partir dos formulários os dados são utilizados de forma estratégica. O ideal é que os profissionais responsáveis pela elaboração desta etapa, tenham consciência da importância de um material agradável.

 

Ainda mais, entre os pontos comumente analisados nas estratégias de marketing digital está a taxa de conversão, que corresponde a média de conversões da página da marca. 

 

Já a otimização da taxa de conversão é o trabalho feito em prol da elevação dessa média.

 

Por exemplo, se uma empresa que realiza um trabalho de aluguel de tenda para casamento consegue esse aumento em sua taxa de conversão, os resultados no geral são potencializados, pois é um indicador para um maior número de negócios fechados.

 

Porém, nesta fase lidamos com possibilidades. Nenhum negócio é fechado nesta fase do inbound marketing.

 

As landing pages são importantes meios de conversão, afinal, são estruturadas especificamente para persuadir a audiência a obter algo oferecido, que habitualmente é um material, como um e-book e para conseguir basta dispor alguns dados.

3. Venda

Após a conversão há necessidade de investir ainda mais nas informações reunidas para a definição da persona, que é o que representa o consumidor ideal, sendo um perfil semi fictício.

 

Afinal, neste ponto, a proposta é conseguir, de fato, clientes e por esse motivo a personalização tem um papel de grande importância para estimular o interesse.

 

Um dos recursos utilizados nesta fase é a nutrição dos leads e para que de fato as pessoas estejam cada vez mais próximas de concretizar uma compra, é preciso analisar com cautela o tipo de conteúdo desenvolvido para o e-mail marketing.

 

O ideal é que os materiais sejam ainda mais atrativos para que a empresa seja enxergada como uma solução de grande potencial.

 

Para obter resultados mais precisos, o lead scoring também pode ser decisivo, uma vez que corresponde a análise de prioridades em relação aos leads, mais precisamente, para identificar qual ação deve ser tomada de acordo com o estágio na jornada de compra de cada um.

4. Encantamento

Mesmo após realizar uma venda do seu produto ou serviço, e ter concluído com sucesso a prospecção de um cliente,  o processo de inbound não é dado por encerrado, uma vez que investir em um suporte pós-venda de qualidade pode ser decisivo para a fidelização e até mesmo para a divulgação da sua empresa. 

 

Um exemplo claro disto, é um estúdio ensaio que se preocupa com a satisfação dos clientes durante e após uma sessão fotográfica.

 

Torna-se imprescindível assegurar o sucesso do cliente de acordo com o serviço contratado e manter o relacionamento ativo, o que pode ser realizado principalmente com o e-mail marketing.

 

As diferenças do inbound e outbound marketing

Mudanças tecnológicas e na forma como nos comunicamos surgem ao longo do tempo, o que naturalmente tem impacto na sociedade como um todo, como hábitos diários até a forma de alcançar os consumidores em potencial.

 

Afinal, é necessário que as corporações se adaptem e nesse contexto, é interessante citar que o desenvolvimento de novas técnicas não significam a exclusão de meios tradicionais.

 

Este é o caso da relação do inbound e outbound marketing, uma vez que a segunda técnica está predominantemente relacionada com práticas mais convencionais.

 

Imagine uma empresa de transporte de cargas que decide adotar as estratégias de outbound, esta estratégia terá uma abordagem mais direta em relação ao inbound, além de apostar também em mídia impressas.

 

É válido considerar que a ligação do outbound marketing com meios tradicionais não significa que ao longo dos anos não tenha passado por mudanças, uma vez que meios digitais, como e-mails e uso de banners em sites também podem fazer parte dessa estratégia.

 

Pode-se dizer que uma empresa que adota as ferramentas do outbound se direciona até o cliente, não o contrário, já que está é uma característica no inbound marketing, que foca na atração do cliente.

 

Não há um padrão, porém, corporações que enfrentam um cenário extremamente competitivo no meio digital podem ter mais resultados favoráveis com o outbound devido a obtenção de ROI (Retorno Sobre Investimento) mais rápido.

 

Para compreender melhor a possibilidade de  se utilizar destas duas estratégias, é possível imaginar uma creche para animais de estimação que deseja obter maior autoridade e gerar receita a curto prazo.

 

O outbound marketing pode ser uma solução para atender a segunda necessidade, enquanto práticas atreladas ao inbound, como o SEO, podem ser favoráveis para o primeiro caso.

A aplicação do inbound em setores distintos

Por mais que diversas vantagens sejam apontadas ao falar de estratégias como o inbound marketing, é interessante que exista o questionamento sobre as aplicações mais adequadas e a consciência de que não há apenas uma forma de implantar.

 

Afinal, cada empresa reúne suas particularidades em relação ao porte, objetivos, setor de atuação, audiência, entre outras possibilidades. Esses quesitos devem ser averiguados em qualquer tipo de tática a ser implantada para que de fato os benefícios sejam aproveitados.

 

No caso do inbound, diversos segmentos podem aplicá-lo, desde instituições de ensino até o meio industrial.  Utilizando-se desses dois exemplos, primeiramente, é interessante utilizar a relação de instituições de ensino com o inbound marketing.

 

Uma vez que o marketing de conteúdo é um dos pilares, a base para a estratégia é reforçar a educação do público e gerar valor. Diferentes formatos podem ser aproveitados, como materiais de auxílio, e-books e posts em blogs.

 

Ao se tratar do tipo de conteúdo, naturalmente dependerá da atuação e dos objetivos da empresa.

 

Já no meio industrial, grande parte do público são outras empresas, ou seja, o modelo de negócios B2B (Business-to-Business) e por essa razão, é imprescindível que a abordagem esteja voltada para potencializar os benefícios que a concretização de compra pode apresentar.

 

Sendo assim, ocorre não só uma condução mais eficaz pela trajetória de compra, como também o enriquecimento de informações, independente do tipo de audiência atendida.

 

Assim como no caso de instituições de ensino, a educação do mercado é um dos pontos de destaque e em situações em que o empreendedor almeja investimentos iniciais menores, é possível escalar aos poucos.

 

Com as informações apresentadas ao longo do texto, pode-se perceber que o inbound é uma parte de grande relevância do marketing digital, especialmente por reunir diversos recursos.

 

Sendo assim, é válido investir em uma equipe qualificada, assim como no acompanhamento de tendências e treinamentos quando necessário. Afinal, as modificações são constantes e é preciso acompanhá-las para alcançar os clientes da melhor forma.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Siga-nos nas Redes Sociais e Compartilhe:
error0

Gardênia Nunes

Analista de Marketing da dBriefing Resultados criativos. Formada em Design Gráfico, especializada em Marketing digital com foco em estratégia e resultados. Amante da cultura pop, filmes e chocolate. - “Resultado de verdade é aquele que funciona”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *