Duas mão conectando peças de um quebra cabeça em cima de uma mesa de escritório

Estratégia competitiva: aprenda como fazer diferente

Estratégia competitiva é o conjunto de ferramentas que uma empresa usa para buscar espaço no mercado. Em outras palavras, são as ações para se diferenciar da concorrência.

Sempre foi necessário ter estratégia competitiva. Porém, na atualidade, essa urgência só tem aumentado. Afinal de contas, nos mais variados setores, ocorrem oscilações que balançam os negócios.

Nesse quadro de instabilidade geral, a estratégia competitiva traz mais segurança. Como isso acontece? Quando uma organização se dedica a esses instrumentos, automaticamente, ela terá que adotar algumas medidas.

Desse modo, será preciso ficar de olho na concorrência, acompanhar tendências no seu setor e vigiar de perto o pensamento do cliente.

Portanto, a empresa não apenas ganha mais proteção como também se prepara para enxergar novas chances de crescer. Quer saber mais sobre competitividade? Então veja neste post como brilhar na sua área!

Conheça os tipos de estratégia competitiva

Quando o assunto é a estratégia competitiva, não existe uma fórmula única. Portanto, cada organização deve encontrar a sua maneira de se destacar em determinado segmento. Porém, existem táticas de enfrentamento da concorrência que são clássicas na área administrativa e de gestão.

Dessa forma, é bom conhecer um pouquinho sobre elas, embora muitos conceitos — você verá — são familiares. Entender essa teoria é importante no processo de fortalecer a marca. Confira!

Estratégia competitiva de custo

A estratégia competitiva de custo, como já diz o próprio nome, serve para tornar você o player com o melhor preço de sua praça. Para conseguir isso, são traçados planos de ação. Desse modo, pode se cortar gastos, negociar com os fornecedores, dobrar a capacidade de produção etc.

Nesse sentido, para definir como serão suas políticas de precificação, avalie muito bem o seu tipo de campo comercial e o comportamento do consumidor. Em muitos casos, o cliente pode preferir a qualidade ao preço baixo.

Estratégia competitiva de diferenciação

A estratégia competitiva por diferenciação também é autoexplicativa. Ou seja, ela é definida como a meta de colocar no mercado produtos ou serviços especiais. Nessa modalidade de combate comercial, o empreendedor já pode trabalhar com preços mais altos.

Estratégia competitiva de foco

A empresa escolhe um nicho do mercado para direcionar suas principais ações. Assim, por exemplo, uma construtora poderia escolher ser a maior do país voltada às classes C e D.

Saiba quais são as “5 Forças de Porter”

Quando falamos em estratégia competitiva, um dos nomes mais famosos é o do professor Michael Porter, que em 1979 publicou a teoria “5 Forças de Porter”. Segundo o autor, se a empresa monitorar cada uma dessas forças, ela conseguirá o sucesso em qualquer campo. Vamos ver que forças misteriosas são essas? Confira!

1. Rivalidade entre os concorrentes

A rivalidade entre os concorrentes é o nível das disputas, das rixas e das oposições. Por exemplo: em alguns setores, a concorrência é enorme! Por isso, a quantidade de ofertas, de políticas para fidelização de clientes e outras ações são bem mais frequentes e perturbadoras.

Assim, é preciso levar esse quesito em consideração ao montar suas ferramentas de disputa comercial. Por outro lado, há áreas em que a demanda é alta, mas não existe muitos adversários.

2. Ameaça de produtos competitivos

Toda estratégia competitiva deve trabalhar com a possibilidade de seu produto ser substituído pelo de outra empresa. Nesse contexto, uma organização rival pode atender seu cliente melhor ou por valores mais baratos.

Para perceber quando essa força surge, você pode fazer pesquisas de mercado, análise SWOT e monitorar o comportamento das vendas.

3. Poder de barganha dos clientes

O cliente tem sempre razão, e isso ainda não mudou! Sendo assim, o poder de atuação do consumidor não pode ficar de fora do jogo. Afinal, quando há muita mercadoria semelhante à disposição, o público consegue até pressionar para baixo os preços gerais de produtos.

4. Ameaças de novos entrantes

Mais um componente de peso na análise da concorrência é a chegada de novos adversários. Desse modo, a empresa deve sempre se preparar para a possibilidade de isso acontecer. Nesse sentido, a estratégia competitiva serve para enxergar e reagir.

5. Poder de barganha dos fornecedores

Os fornecedores são peça-chave no mundo dos negócios. Nesse sentido, algumas circunstâncias aumentam o poder deles nessas movimentações. Por exemplo: se ele tiver o melhor preço ou for um dos poucos existentes. Além disso, é necessário lembrar que um fornecedor pode passar a atender a sua concorrência ou até mesmo se tornar um adversário direto.

Como montar uma estratégia competitiva com as “5 forças de Porter”

De acordo com Michel Porter, existem três estratégias competitivas que equilibram as 5 Forças. Com elas, uma organização consegue evitar ser abalada pelas situações que mencionamos. Veja como fazer:

  • Liderança de custo: a empresa deve buscar um papel protagonista na questão de preços. Para isso, pode-se pensar em reduzir os gastos. Mais uma ideia é ampliar os lucros cobrando valores mais altos para produtos já aceitos. Porém, para mercadorias não tão reconhecidas, é válido diminuir o valor para tentar expandir a participação nesse setor;
  • Diferenciação: o empreendedor deve manter políticas constantes para o aprimoramento dos produtos, para melhorar o atendimento, para trazer inovações etc. Isso inclui decisões administrativas, financeiras, tecnológicas, de marketing etc.;
  • Foco: a empresa precisa direcionar suas ações para o público certo para aumentar as vendas e ficar menos vulnerável às 5 Forças de Porter.

Portanto, a estratégia competitiva é um instrumento fundamental para enfrentar a concorrência. Sem esses mecanismos, as decisões de negócio acabam tomadas no improviso. Por outro lado, com um plano de ação voltado para isso, a empresa fica mais protegida e ainda amplia as chances de sucesso. E aí? Gostou do conteúdo? Então compartilhe!

Siga-nos nas Redes Sociais e Compartilhe:
error0

Gardênia Nunes

Analista de Marketing da dBriefing Resultados criativos. Formada em Design Gráfico, especializada em Marketing digital com foco em estratégia e resultados. Amante da cultura pop, filmes e chocolate. - “Resultado de verdade é aquele que funciona”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *