o que é design thinking

O que é Design Thinking?

Empreendedores de sucesso sabem da importância em inovar. Assim, estão sempre atentos a transformações tecnológicas, novas metodologias e processos que possam os colocar em destaque no mercado. Esse caminho, no entanto, não é tão simples, especialmente em um contexto no qual corremos cada vez mais contra o tempo.

Por isso desenvolvedores de produtos e serviços das empresas, que lidam com a pressão de produzir algo criativo, inovador e num tempo recorde, devem conhecer o que é design thinking. Em resumo trata-se de uma abordagem para organizar e potencializar os processos, aumentando as chances de sucesso. Ficou interessada? A seguir vamos detalhar o tema.

O que é design thinking

Design thinking é uma abordagem que busca solucionar problemas mantendo o foco nas pessoas. O processo envolve profissionais de diferentes áreas e competências, numa atuação colaborativa. O objetivo é compreender e atender os clientes em potencial.

Essas equipes multidisciplinares, a partir do próprio conhecimento, visão de mundo e experiências individuais, pensam nas necessidades do consumidor, humanizando todo o processo. Por isso não se trata de uma receita pronta ou cálculo matemático, mas sim um norte para as empresas chegarem ao objetivo final.  

Como surgiu o conceito

Foram David Kelley e Tim Brown –  da IDEO, empresa de consultoria em inovação – os responsáveis pelo o que é design thinking. Tudo começou na década de 90, quando eles começaram a solucionar os problemas de seus clientes de maneira holística, com criatividade e um olhar mais humanizado.

As raízes dessa abordagem, no entanto, são antigas e inspiradas no design. Depois de vários resultados positivos, os autores tiveram o conceito sistematizado no livro Change by Design (Design Thinking – Uma Metodologia Poderosa Para Decretar o Fim das Velhas Ideias). A publicação se tornou um best-seller em 2009.

Os princípios do design thinking

O design thinking é baseado em três pilares: empatia, colaboração e experimentação.  O primeiro se relaciona à capacidade de abandonar pré-julgamentos e convicções pessoais para enxergar pelos olhos dos outros. Dessa forma é possível compreender as pessoas e as suas necessidades.

Já a colaboração prevê o envolvimento de profissionais multidisciplinares já que perspectivas diversas enriquecem a criação e as discussões. Por fim, a experimentação envolve a diminuição dos riscos, a partir da vivência, com erros e acertos.

Dessa maneira a intenção é compreender o perfil do consumidor, questionando o que já está estabelecido, para encontrar as melhores respostas para diversos problemas e também atender aos desejos da clientela.

Quais são as vantagens

São diversas as vantagens de adotar o design thinking. A começar pela comunicação interna, já que a abordagem estimula a troca de experiências, contemplando a fala e a escuta de todos.

O ambiente de trabalho se torna mais estimulante, por conta da empatia, colaboração e experimentação compartilhados por todos os profissionais. Além disso com atenção total no cliente eles conseguem compreender mais facilmente os problemas de seu público consumidor.

Essa abordagem humaniza, mas não deixa os resultados de lado. Assim, os profissionais exercitam a visão macro e micro da cadeia para encontrar caminhos e atender os propósitos planejados.

Os profissionais ainda se tornam mais flexíveis e adaptáveis, sem perder o senso crítico. Sentem que estão sendo ouvidos e cada vez mais se identificam com a empresa e seus clientes.

Como aplicar?

Em primeiro lugar é necessário um objetivo claro para que a abordagem se debruce sob ela. Também é preciso o envolvimento de profissionais diversos que garantam a pluralidade na compreensão das informações, proposta de sugestões e soluções.

A partir desses fatores é imprescindível uma liderança que garanta um ambiente colaborativo e, inclusive, estimulador de erros. Isso porque quanto antes identificados, mais fácil de serem corrigidos.

Erros e feedbacks são ótimas formas de aprendizado durante o processo.

Quais são as etapas

O design thinking envolve sete etapas. São elas:

Entendimento

Momento inicial que estabelece como será o trabalho, incluindo, por exemplo, regras de convivência e cronograma.

Observação

Nesta tapa a proposta é identificar possíveis problemas a partir do entendimento sobre estilo de vida, questões sociais, econômicas e emocionais.

Ponto de Vista

Nesta etapa todos os envolvidos compartilham suas impressões, problemas e dados mais relevantes que obtiveram em campo.

Ideação

A ideação é o momento no qual o projeto passa a ganhar forma. Dessa forma identifica-se e se discute as soluções.

Prototipagem

Depois de escolher a melhor solução é necessário criar uma versão que propicie a experiência mais próxima da realidade.

Teste

Esta é a fase de aprendizado. Por isso é o momento de atenção para qualquer sinal de satisfação ou insatisfação.

Iteração

A etapa envolve o feedback, ou seja, o aprofundamento de questões para entender as insatisfações.

Explicamos neste artigo o que é design thinking uma abordagem que ajuda a potencializar os processos e também encontrar resultados mais efetivos. Tudo isso com base em pilares como empatia, colaboração e experimentação, envolvendo todos os agentes dos processos e profissionais altamente capacitados.

Aproveite e confira também o nosso artigo sobre porque o design é um investimento e não gasto

Akira Kawazoe

Co-fundador e CBO da dBriefing Resultados criativos. Formado em Design Gráfico, com especialização em Gestão do design e cursando MBA em Branding, Nerd, gamer e apaixonado pelo mundo das marcas . - “Um mundo sem marcas, é um mundo sem negócios”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *